História do Fortaleza Esporte Clube

Origens:

O clube que nasceu para ser o campeão Falar das origens do Fortaleza Esporte Clube passa necessariamente por falar do maior desportista cearense de todos os tempos: Alcides de Castro Santos. Primeiramente, ele fundou em 1912 um clube também chamado Fortaleza, que posteriormente veio a ter suas atividades encerradas. A seguir, participou da fundação do Stella Foot-Ball Club, em 1915 (Stella era o nome de um colégio suíço onde estudavam os filhos de alguns nobres representantes da alta sociedade de Fortaleza). Este clube teve estreita ligação com o Fortaleza Esporte Clube (FEC), principalmente pela presença de Alcides Santos na formação dos dois, tendo o Fortaleza sido fundado em 18/10/1918. Como grande desportista que era, também estimulou e participou da fundação de Riachuelo, Tabajara e Maranguape, todos antes de 1918. Esteve ligado ao Fortaleza EC em seus primeiros 20 anos de história.

1920 a 1930 Primeiro arrastão de títulos O primeiro campeonato cearense realizado pela ADC foi disputado por quatro clubes, a saber: o Fortaleza (campeão), o Guarany (vice), o Bangu (terceiro lugar) e o Ceará (quarto lugar). O Fortaleza formava com Quinderé, Meton e Riquet; João Gentil, Lucio Bauerfeldt e Petter; Clovis Moura, Artur Oliveira, Humberto Ribeiro, Juracy e Pontes. O artilheiro cearense daquele ano também foi do Fortaleza: Humberto Ribeiro, com 11 gols.

Em 1921, o Fortaleza foi bicampeão cearense, com um time-base formado por Peter, Moacir e Riquet; Arnaldo, Bauerfeldt e Djalma Botelho; Clovis Moura, Artur Oliveira, Humberto Ribeiro, Juracy e Clodomir. O artilheiro do certame foi Juracy, do Fortaleza, com 13 gols.

Em 1922, o FEC foi vice-campeão, mas reconquistou a hegemonia cearense em 1923, numa grande final com o América. A time-base era Peter, Moacir e Caranã; Calixto, Nonato e Turíbio; Pirão, Roque, Arthur Oliveira, Juracy e Clodomir. O artilheiro foi, pela segunda vez, Juracy, com 11 gols.

A edição de 1924 foi um passeio. Oito jogos, oito vitórias, 30 gols marcados e 11 sofridos. A campanha terminou com uma humilhante goleada no Ceará por seis gols. Juracy foi novamente artilheiro com 12 gols. Neste ano, o Fortaleza alugou para sua sede, uma sala no Edifício Majestic Palace. O time-base era Peter, Moacir e Caranã; Calixto Nonato e Turíbio; Pirão, Roque, Arthur Oliveira, Juracy e Clodomir.

Em 1925, um campeonato equilibrado foi decidido somente no jogo extra, quando o FEC perdeu por 2 a 1. No ano seguinte, um campeonato tranqüilo, decidido duas rodadas antes do final, e marcado por diversas goleadas do Tricolor sobre todos os adversários (6 a 2 no Ceará, 6 a 1 no Maranguape, 7 a 1 no vice-campeão Guarany, 9 a 1 no Cutuba). Mais uma vez o artilheiro foi tricolor, com Antônio Oliveira marcando 11 gols. O time-base era Rolinha, Moacir e Correia (Caranã); Zezé, Nonato e Calixto; Xixico, Roque, Arthur Oliveira, Juracy e Pirão.


Mantendo a base do ano anterior, 1927 foi mais um ano tranqüilo para o Fortaleza. Humberto Ribeiro sagrou-se artilheiro com nove gols, e novamente aconteceram muitas goleadas humilhando os adversários, como 4 a 0 no Maranguape, 9 a 2 no Brasil, 7 a 3 no Guarany, 7 a 0 no América e um 8 a 0 no Ceará, esta ocorrida no histórico dia 17/07/1927, com gols de Hildebrando (3), Pirão (2), Xixico, Humberto Ribeiro e Juracy. Até hoje, esta é a maior goleada no clássico cearense. O grande adversário daquela edição foi o Fluminense, único a não perder para o Tricolor. O time-base era Rolinha, Moacir e Correia; Hildebrando, Zezé e Calixto; Xixico, Roque, Humberto Ribeiro, Juracy e Pirão.

Em 1928, o Fortaleza alcança seu primeiro tricampeonato. O título foi conquistado de maneira invicta, com sete vitórias e apenas um empate. Na verdade o único adversário foi o Maguari, que empatou uma e perdeu outra (2 a 2 e 2 a 0). O Fluminense perdeu de 5 a 0 e 6 a 0. O Guarany perdeu de 3 a 2 e 9 a 1. Contra o Ceará os placares foram de 5 a 1 e 4 a 2. O time-base era formado por Aderaldo, Correia e Rolinha (este foi tri como zagueiro, depois de bi como goleiro); Hildebrando, Caranã e Calixto; Xixico, Pirão, Humberto Ribeiro (novamente artilheiro, agora com 12 gols), Peter e Mário.

O ano de 1929 marcou a dissolução do departamento de futebol do Fortaleza. O comunicado à ADC foi protocolado no dia 6 de agosto, quando o time liderava a competição. Divergências com a ADC quanto aos julgamentos de protestos foram a causa da decisão. A ADC esperou dois meses pela volta do time do Fortaleza à competição maior do estado, não lhe tomando os pontos, mas o Fortaleza não voltou. Alguns de seus jogadores e associados fundaram, então, um novo clube, o Orion, que com “espírito tricolor” ganhou o campeonato do ano seguinte. Já o título de 1929 caiu no colo do SC Maguari. A título de curiosidade, veja a formação do Orion, campeão de 1930, perfilando alguns jogadores que haviam militado anteriormente no FEC: Oto, Preto e Orestes; Basílio, Caranã e Santana; Guarany, Jurandir, Zezé, Juracy e Pirão. Zezé foi o artilheiro com 11 gols.

Década de 1930: O Retorno ao Estadual e o Tabu dos 7 anos Campo do Prado, palco do Tabu dos 7 anos na década de 1930 Em 1932, o clube retorna ao campeonato cearense, ficando em 3º lugar com um time de garotos e com sede no subúrbio.

Em 1933, inicia a cobrança de ingressos para os jogos do campeonato e volta a ser campeão perdendo apenas uma partida. No ano de 1934, três clubes abandonaram o torneio após serem derrotados pelo Tricolor: Liceu (4 a 2), Gentilândia (6 a 2) e Ceará (5 a 0); na final, o time tricolor derrota o poderoso América e seu "ataque de 100 gols", sendo campeão invicto. Em 1937, conquista mais um título invicto. No torneio seguinte, no jogo contra o Iracema marca um recorde que perdura: o atleta Alemão marca oito gols, dos quais seis de cabeça. Jornais da época afirmaram que o juiz ainda anulou três deles, sendo esse jogo, a partida com maior número de gol do Campo do Prado. Durante os anos de 1932 à 1939, o Fortaleza Esporte Clube, passou sem perder para o maior rival, fato publicado várias vezes nos jornais da cidade: O Estado (Ceará), O Unitário, Correio do Ceará e Jornal O Povo. O Jornal O Povo cita uma manchete da época,: “Não há Favorito para o Jogo de Amanhã - Foi em 1932 a ultima Vitoria do Ceará contra o Fortaleza.” Na manhã do dia 22 de maio de 1939 a manchete do jornal : “Ceará - 3 x 0 - Depois de sete Anos, foi abatido o Fortaleza

Década de 1940: De Sporting Club a Esporte Clube e a conquista do Primeiro Regional Com o apogeu do Estado Novo na década de 1940, o Nacionalismo está cada vez mais presente entre os brasileiros, o Estado Novo promovia grandes manifestações patrióticas, cívicas e nacionalistas eram incentivados, o então Presidente da República, Gétulio Vargas assina o Decreto-Lei nº. 3.199 de 14 de abril de 1941 no qual padroniza o nome da Confederações, Federações e Clubes, fato que fez a então Associação dos Desportos do Ceará (ADC) mudar de nome para Federação Cearense de Desportos (FCD) e o Fortaleza Sportig Club respeitando o Art. 45 do decreto-Lei que cita : Será constituída, pelo Ministro da Educação e Saude, uma comissão de especialistas que estude e organize um plano de nacionalização e uniformização das expressões usadas nos desportos[19]. Nacionaliza o Sporting Club para Esporte Clube.

Em 1946, a Federação Norte-Riograndense de Futebol promove o primeiro campeonato Nordestino de Futebol, convidando os campeões estaduais da Região daquele ano, que pela distância de suas sedes para Natal alguns clubes desistiram. No dia 14 de julho, estreia no Estádio Juvenal Lamartine, frente aoAmérica (PE), numa vitória por 5 a 3. Após a vitória, a manchete do Correio do Ceará dizia: "Verdadeiros ídolos da torcida de Natal os cracks do Fortaleza".

Apenas em 21 de maio de 1947, depois de alguns adiamentos, é realizada a final do torneio no mesmo estádio onde ocorreram todos os jogos da competição, o Juvenal Lamartine, com vitória do Tricolor por 3 a 1, frente ao América de Natal, com gols de Jombrega (duas vezes) e Piolho, descontando Nonato para a equipe potiguar. A formação do "esquadrão atômico", expressão utilizada pela imprensa local para chamar o campeão foi: Juju; Stênio e Natal; Jorge, Arrupiado e Torres (Zé Sérgio); Carlinhos, Pipiu, França,Jombrega e Piolho.

Década de 1950: A Construção do novo Estádio Em 1951, a Prefeitura Municipal de Fortaleza decide reformar o Estádio Presidente Vargas, renasce a ideia na diretoria tricolor, da necessidade de ter de volta um Estádio particular, já que teve como estádio próprio durante os anos : o Campo do Alagadiço nadécada de 1920 e o Estádio do Campo da Praça das Pelotas (atual Praça Clóvis Beviláqua) [20] durante a década de 1930.

O clube ganha os campeonatos de 1953 e 1954. No ano de 1957 o clube adquire terrenos no Bairro do Pici, que durante a Segunda Guerra Mundial era Base militar dos americanos em Fortaleza, chamado de Post Command (Posto de Comando), por isso a denominação PICI, transfere a sede do Clube da Gentilândia para o novo Bairro. Passando a denominar de Leão do Pici, referência ao bairro onde está localizado o Parque dos Campeonatos. Começa a construção do Estádio Alcides Santos, conquista os campeonatos de 1959 e 1960, inaugura em junho de 1962 o seu estádio, vencendo o Usina Ceará, sendo o primeiro gol do Estádio, de Cleto para o Usina Ceará.

Década de 1960: Os Vices-Campeonatos Brasileiro de 1960 e 1968 O Fortaleza Esporte Clube disputa à primeira, de suas vinte participações da Série A do Campeonato Nacional, em 1960, sendo vice-campeão brasileiro em 1960 e em1968. Em 1960 chega a final da competição, após eliminar o ABC, o Moto Clube o Bahia e oSanta Cruz, perde a final do Campeonato Brasileiro para o Palmeiras. O time base era:Pedrinho; Mesquita e Sanatiel; Toinho, Sapenha e Ninoso; Benedito, Walter Vieira,Moésio Gomes, Charuto e Bececê (artilheiro da competição). No ano de 1968 chega a mais uma final do Campeonato Brasileiro, após eliminar o Bahia e o Náutico, empata o primeiro jogo da final por 2x2 contra o Botafogo de Jairzinho, Paulo César Caju e Roberto Miranda, tricampeões mundiais com a seleção brasileira em 1970, mas perde o jogo decisivo no Maracanã por 4x0.

Década de 1970 : A conquista do Norte-Nordeste, o primeiro campeão do Castelão e a maior invencibilidade em estadual O primeiro título do Fortaleza Esporte Clube na década de 1970 é a conquista do Norte-Nordeste. A equipe na primeira fase classifica-se em primeiro lugar do Grupo 1, com 10 pontos ganhos após realizados os seguintes jogos:  11 de Outubro de 1970 - Fortaleza 3 x 0 Moto Club  14 de Outubro de 1970 - River 1 x 0 Fortaleza  21 de Outubro de 1970 - Fortaleza 2 x 0 Maranhão  25 de Outubro de 1970 - Sampaio Correia 0 x 0 Fortaleza  1 de Novembro de 1970 - Fortaleza 4 x 0 Piauí  5 de Novembro de 1970 - Flamengo 1 x 1 Fortaleza  8 de Novembro de 1970 - Fortaleza 1 x 1 Guarany Segunda fase  21 de Novembro de 1970 - Fortaleza 3 x 2 Galícia  25 de Novembro de 1970 - Campinense 1 x 1 Fortaleza  29 de Novembro de 1970 - Fortaleza 1 x 0 Ceará  2 de Dezembro de 1970 - Fortaleza 2 x 0 Flamengo  9 de Dezembro de 1970 - Sport 1 x 0 Fortaleza Classificou-se para o quadrangular final na segunda colocação do Grupo 3B do Nordeste, conquistando sete pontos. Quadrangular final  13 de Dezembro de 1970 - Fortaleza 0 x 0 Sport  15 de Dezembro de 1970 - Fast Clube 1 x 1 Fortaleza  17 de Janeiro de 1971 - Tuna Luso 0 x 0 Fortaleza  24 de Janeiro de 1971 - Fortaleza 2 x 1 Tuna Luso  27 de Janeiro de 1971 - Fortaleza 4 x 1 Fast Clube  31 de Janeiro de 1971 - Sport 2 x 1 Fortaleza Mesmo perdendo para o Sport em Recife por 2 x 1, vence o Norte-Nordeste pelo critério de desempate, pois ambos terminaram com o mesmo número de pontos. Festa na chegada a cidade de Fortaleza com seus 857.000 habitantes ao novo campeão do Norte-Nordeste.

Em novembro de 1973 é inaugurado na capital cearense o Estádio Governador Plácido Castelo, o Castelão. O ano de 1974 é marcado para se saber qual clube teria a honra de se tornar o primeiro campeão do novo Estádio. O Fortaleza Esporte Clube perde o primeiro turno do estadual, tendo a obrigação de vencer o segundo turno, para forçar a final do Campeonato. No dia 19 de março de 1975, decide o turno contra o Ceará, vencendo teria mais jogos para se definir o Campeão de 1974. Vitória tricolor por 4x0 com gols de Geraldino Saravá três vezes eAmilton Melo. A equipe atuou com: Lulinha, Louro, Pedro Basílio, Osires e Roner; Chinesinho, Lucinho, Amilton Melo e Zé Carlos; Haroldo e Geraldino Saravá. Quatro dias após é realizada a primeira partida da final, mais uma vitória tricolor, agora por 1x0 com mais um gol de Geraldino.[22]. No dia 26 de março estava marcado a segunda partida da “melhor de três”, nova vitória tricolor com gols de Haroldo e Amilton Melo duas vezes.. A equipe conquista o bicampeonato realizando 30 jogos, sendo 23 vitórias, 4 empates e apenas 3 derrotas, marcando 87 gols e sofrendo 22. Durante a década de 1970 o tricolor teve sua maior invencibilidade em estadual ,fato ocorrido no ano de 1978, foram 26 jogos invictos. A segunda maior invicta foi em 1973 e durou 20 partidas. Já a terceira e quarta marca também aconteceu durante os anos 70, 17 jogos nos anos de 1972 e 1976. Em 1951, a Prefeitura Municipal de Fortaleza decide reformar o Estádio Presidente Vargas, renasce a ideia na diretoria tricolor, da necessidade de ter de volta um Estádio particular, já que teve como estádio próprio durante os anos : o Campo do Alagadiço nadécada de 1920 e o Estádio do Campo da Praça das Pelotas (atual Praça Clóvis Beviláqua) [20] durante a década de 1930. O clube ganha os campeonatos de 1953 e 1954. No ano de 1957 o clube adquire terrenos no Bairro do Pici, que durante a Segunda Guerra Mundial era Base militar dos americanos em Fortaleza, chamado de Post Command (Posto de Comando), por isso a denominação PICI, transfere a sede do Clube da Gentilândia para o novo Bairro. Passando a denominar de Leão do Pici, referência ao bairro onde está localizado o Parque dos Campeonatos. Começa a construção do Estádio Alcides Santos, conquista os campeonatos de 1959 e 1960, inaugura em junho de 1962 o seu estádio, vencendo o Usina Ceará, sendo o primeiro gol do Estádio, de Cleto para o Usina Ceará. Década de 1980: A máquina Tricolor de 1982/1983 e mais dois títulos em 1985 e 1987

A década de 1980 começa para o Fortaleza em branco, no estadual de 1980 não conquista os turnos disputados e não chega a final do Cearense, em 1981 decide apenas o segundo turno. Em 1982 é decidido que o tricolor montaria um time para atropelar os adversários, para isso contrata o goleiro Salvino do Ferroviário, o zagueiro Chagas (do Vasco da Gama), Zé Eduardo (que atuava na equipe rival), o ponta-direita Geraldinho (do Fluminense), Adílton (do Flamengo), Miltão, Nélson, Assis Paraíba, trás de volta o zagueiro Pedro Basílio, além de outros atletas. O Leão do Pici conquista os dois primeiros turnos do campeonato e o Ferroviário conquista o terceiro. Na final (em melhor de três partidas), empate no primeiro jogo em 1 a 1 e segundo jogo em 2 a 2, na terceira partida vitória tricolor por 4 a 0, gols de Adílton (3) e Roner. No ano seguinte o presidente Ney Rebouças remonta a máquina tricolor, trazendo para o clube Tadeu (do Fluminense), Luisinho das Arábias (do Flamengo), Júlio César Uri Geller (do Flamengo), Wescley (do Botafogo), Edson (do Botafogo) e Marquinhos (do Vasco da Gama) ganha o primeiro turno invicto, mais um vez passa por cima dos adversários e no último jogo do campeonato vence o Ferroviário por 2 a 0 com dois gols de Luisinho das Arábias. Em 1984 termina o estadual na segunda colocação, em 1985 o Fortaleza traz para treinar o seu elenco o ex-jogador do Santos, Pepee conquista o estadual de número 27. Em 1986 perde o Bicampeonato. No ano de 1987 é o clube de melhor campanha no estadual e com o empate em 0 a 0 no último jogo conquista mais um título cearense. Em 1988 perde a final para o Ferroviário com gol de Marcelo Veiga.

Década de 1990: O Maior público em Clássico-Rei e o Acesso a Série A do Brasileiro O Maior público registrado em Clássico-Rei aconteceu pelo Campeonato Cearense de 1991 no dia 6 de outubro de 1991, o público da partida foi 60.363 pagantes com vitória tricolor pelo placar de 1x0. O Fortaleza após vencer o terceiro turno do estadual e o quarto turno, o tricolor conquista no 15 de dezembro de 1991 o Estadual de número 29. O Fortaleza Esporte Clube conseguiu o acesso a Série A de 1993, após conquistar a sétima colocação da Série B de 1992 na qual, classificava 12 equipes para Primeira Divisão de 1993. O clube conquista 28 pontos em 26 jogos, com 11 vitórias, 6 empates e 9 derrotas, marcando 30 gols e sofrendo 24.

Década de 2000: Os vices-campeonatos da Série B em 2002 e 2004 O Fortaleza Esporte Clube conseguiu o acesso a Série A de 2003, após 31 jogos, conquistando 59 pontos, sendo 18 vitórias, 5 empates e 8 derrotas, marcando 61 gols e sofrendo 31 gols. Os jogos finais da Série B de 2002 foram: Fortaleza 2 x 0 Criciúma - 30 de novembro - Estádio Castelão Criciúma 4 x 1 Fortaleza - 7 de Dezembro - Estádio Heriberto Hülse Na Série B de 2004, o Fortaleza Esporte Clube conquistou 55 pontos em 35 jogos sendo 15 vitórias, 10 empates e 10 derrotas, 55 gols prós e 30 contra. A seguir o quadro com os jogos e classificação do Quadrangular Final: Década de 2000: O Campeão da Década em Estaduais e o maior tabu em jogos oficiais do Clássico-Rei A Década de 2000 começa com o maior tabu em jogos oficiais estabelecido na história dos Clássicos-Reis, que durou de 17 de julho de 1999 a 8 de julho de 2001, com 12 vitórias e quatro empates, em 16 partidas. Entre os anos de 2000 a 2010, o Fortaleza Esporte Clube esteve presente em todas as finais do campeonato estadual, conquistando os estaduais nas respectivas decisões:  16 de Julho de 2000 - Fortaleza 1 x 1 Ceará ] - Estádio do Junco  8 de Julho de 2001 - Fortaleza 3 x 1 Ceará - Estádio Presidente Vargas  23 de Março de 2003 - Fortaleza 2 x 1 Ferroviário - Estádio Castelão  15 de Dezembro e 19 de Dezembro de 2004 - Fortaleza W x O Ceará - Estádio Castelão  17 de Abril de 2005 - Fortaleza 2 x 0 Icasa - Estádio Castelão  6 de Maio de 2007 - Fortaleza 1 x 0 Icasa - Estádio Castelão  4 de Maio de 2008 - Fortaleza 4 x 2 Icasa - Estádio Castelão  3 de Maio de 2009 - Fortaleza 1 x 1 Ceará - Estádio Castelão  2 de Maio de 2010 - Fortaleza 1 x 2 - (Pênaltis: 3x1) Ceará -Estádio Castelão O Campeonato de 2002 Além dos oito títulos conquistados na década, o tricolor conquistando o campeonato de 2002 passaria a ter nove títulos na década. Entenda a situação sobre o Campeonato Cearense de 2002, disputado em três turnos, o Fortaleza conquistou o primeiro turno e o Ceará o 2º e 3º turno. Em março de 2002 o Ceará contrata o costarriquenho David Madrigal. No dia 16 de julho, o Limoeiro descobre a irregularidade no visto de trabalho de David e tenta a impugnação da partida realizada pelo 3º turno no dia 10 de julho em que o Ceará venceu por 3x1, entrando com uma ação no TJD. No dia 23 de julho o contrato de David é suspenso pela FCF, após a descoberta de que o seu visto de trabalho só o permitia atuar pelo Roma de Apuracana, seu clube anterior. A final do campeonato estadual é realizado no dia 7 de agosto, entre o Fortaleza vencedor de um turno e o Ceará, vencedor de dois turnos,(por ser vencedor de dois turnos jogou a final por um empate). O jogo acabou empatado em 1x1, o Ceará por ter conquistado dois turnos é declarado campeão. Em Setembro de 2002 o Fortaleza entra com uma ação cautelar no TJD pedindo a anulação dos pontos do Ceará nas partidas em que David atuou e a consequente transferência do título para o vice-campeão, no caso o Tricolor, no dia 6 de outubro o juiz Inácio de Alencar Cortez Neto, da 17ª Vara Cível, julga procedente em primeira instância a ação ordinária promovida pelo Fortaleza pedindo a anulação dos pontos na partida em que David Madrigal atuou e a consequente transferência do título estadual de 2002. As 16 chibatadas: 17 de Julho de 1999 Fortaleza 7 x 2 Ceará Estadual de 1999 27 de Fevereiro de2000 Fortaleza 4 x 0 Ceará Estadual de 20002 de Abril de 2000 Fortaleza 1 x 0 Ceará Estadual de 2000 30 de Abril de 2000 Fortaleza 3 x 0 Ceará Estadual de 20007 de Maio de 2000 Fortaleza 2 x 1 Ceará Estadual de 2000 11 de Junho de 2000 Fortaleza 2 x 1 Ceará Estadual de 2000 27 de Junho de 2000 Fortaleza 1 x 1 Ceará Estadual de 2000 16 de Julho de 2000 Fortaleza 1 x 1 Ceará Estadual de 2000 27 de Setembro de2000 Fortaleza 3 x 1 Ceará Série B de 2000 21 de Fevereiro de2001 Fortaleza 2 x 1 Ceará Nordestão de 2001 28 de Março de 2001 Fortaleza 1 x 1 Ceará Estadual de 2001 13 de Maio de 2001 Fortaleza 2 x 2 Ceará Estadual de 2001 20 de Maio de 2001 Fortaleza 4 x 3 Ceará Estadual de 2001 10 de Junho de 2001Fortaleza 1 x 0 Ceará Estadual de 2001 5 de Julho de 2001 Fortaleza 0 x 0 Ceará Estadual de 20018 de Julho de 2001 Fortaleza 3 x 1 Ceará Estadual de 2001 2010: Do tetra inédito à crise O Tetracampeonato de 2007/2008/2009/2010, começa em 2007 com o título vencido em cima do Icasa. No ano seguinte veio o bicampeonato. O Fortaleza venceu os dois jogos da final frente ao Icasa: 2 a 0 no Romeirão e uma goleada por 4 a 2 no Castelão. O Tricampeonato em 2009 foi conquistado com 14 Vitórias, 7 Empates e 5 Derrotas, com 54 Gols Pró e 31 contra. As finais foram disputadas nos dias 26 de Abril (vitória do Tricolor de Aço por 2x1, gols de Guto e Wanderley) e 3 de maio. Neste segundo jogo, o Tricolor jogava por um empate e perdia por 1x0 até os oito minutos do segundo tempo, quando Marcelo Nicácio marcou de peixinho o gol do Tricampeonato, para delírio da nação tricolor. No Estadual de 2010 conquista o primeiro turno e seu rival conquista o segundo. Na final, o primeiro jogo foi ganho pelo Leão, o segundo foi ganho pelo Ceará. Nos pênaltis, 3x1 para o Fortaleza, e assim se consagra, pela primeira vez na história, Tetra campeão Cearense. Por outro lado, o Leão não conseguiu passar da fase classificatória e permaneceu na terceira divisão. Títulos Regionais Torneio Norte-Nordeste: 1 (1970) Estaduais Campeonato Cearense: 39 (1920 , 1921 , 1923 , 1924 , 1926 , 1927 , 1928 , 1933, 1934, 1937, 1938, 1946 , 1947 , 1949, 1953, 1954, 1959, 1960, 1964,1965, 1967, 1969, 1973, 1974, 1982, 1983, 1985, 1987, 1991, 1992**, 2000, 2001, 2003, 2004, 2005, 2007, 2008, 2009 e 2010). Torneio Início do Ceará: 12 (1925, 1927, 1928, 1933, 1935, 1948, 1960, 1961, 1962, 1964, 1965 e 1977). Campeão invicto ** O título do Campeonato Cearense de 1992 foi dividido com Ceará, Icasa EC e Tiradentes Destaques Vice-Campeão do Campeonato Brasileiro de Futebol - Série A: 2 (1960 e 1968) Vice-Campeão do Campeonato Brasileiro de Futebol - Série B: 2 (2002 e 2004) Referências http://pt.wikipedia.org/wiki/Fortaleza_Esporte_Clube

Nenhum comentário:

Postar um comentário